Segundo ato!

Pelo tempo que se leva de uma publicação a outra já se torna claro que muito pouco mudou e que a “média” tem prevalecido.

Pois é gente, a questão da média nossa de cada dia é exatamente essa! Não se tem mobilidade, nem para cima, nem para baixo e nem sequer para os lados (como se fôssemos caranguejos em algumas situações!?!).

Não há muitas saídas para quem fica parado no meio da situação por mais impactante que ela seja, e não há escapatória para quem coloca na mão dos outros a direção de seus propósitos. O que a grande maioria faz é observar, mas não para depois tomar uma atitude e sim para comentar favorável ou contrariamente, apenas opinar nas escolhas dos outros enquanto não faz as próprias.

Vive-se, muitas vezes, a passar desapercebido pelos acontecimentos. Um entre milhões que apenas criticam, vociferam, reclamam ou caçoam dos outros, dos atos, das situações. E não se responsabilizam pelas próprias escolhas que fazem.

É mais fácil ficar a margem do caminho, aplaudindo ou vaiando aqueles que seguem por ele. É mais fácil falar que a sua dor é maior, o seu peso é maior mas a sua culpa é menor. Sempre aparece um excelente “bode expiatório” no qual colocamos toda ela (a culpa) sem o menor pudor, sem o menor censo de que nossas escolhas nos colocam onde estamos.

Pode-se aprender pelo amor, mas, na maioria das vezes, optamos pela dor. E depois colocamos em alguma costa que não é a nossa o motivo de nossa dor. Sabemos em alguns casos exatamente o que queremos, no entanto, insistimos em fazer do jeito que já não deu certo e repetimos resultados que vão totalmente em oposição aquilo que objetivamos.

Se faz necessária uma conscientização de nossa natural responsabilidade ou da total falta dela para que possamos realmente dar um próximo passo na direção do que realmente queremos. Para isso é chegada a hora de dar um basta em qualquer vitímismo e assumirmos a AUTORESPONSABILIDADE.

Fica a dica ! Até o próximo post…

6-leis-da

Anúncios

Mas afinal “Que MÉDIA é essa?”

logo-2

Que MÉDIA é essa?

A ideia desse blog é fazer com que reflitamos sobre a “média” das coisas que vivemos, fazemos, escolhemos ou colhemos. Uma forma de compartilhar um pensamento que ao mesmo tempo que incomoda, me impacta, pois, olhando no espelho ou na linha da minha existência, vejo claramente os traços da mediocridade ou se preferir de uma vida morna.
Não quero com isso ferir ninguém, nem tão pouco me ferir, não é essa a intenção, a reflexão é para conscientizar-nos de nossa própria cegueira diante do que é imposto ou sugerido no dia-a-dia. E que por muitas vezes nos coloca na linha de frente de grandes impasses.
Vivemos em torno de situações opostas e por comodismo nos colocamos em cima do muro para que nossa opinião não seja alvo de críticas ou optamos por ficar na zona de conforto aguardando um sinal de qual caminho, ou escolha é melhor sem ter que nos envolver profundamente na questão.
Essa escolha por permanecer superficialmente em todo momento que somos colocados em xeque cria uma grande barreira para nossas conquistas e faz com que muitos de nós nunca alcance realmente seus propósitos, isso quando temos a coragem de definir algum, pois muitos também não tem a menor visão ou vontade de por si só criar uma meta, um objetivo claro de vida.
Me incluo totalmente nesse clube e estou criando este blog para mudar esta realidade na minha vida, além de dar um auxílio aos que se interessarem pelo assunto, de se movimentarem em direção a algo maior ou pelo menos reverem como está seu caminhar, suas escolhas e seus projetos.
Tem gente que é média somente em determinadas áreas, tem gente que é média em tudo, tem gente abaixo da média em muitas coisas, tem pouca gente acima da média.
A média é particular de cada um, uma situação que considero média para outra pessoa pode ser uma situação extrema.
A média não é boa, nem ruim, mas é uma escolha que pode ser consciente ou não.
Estar na média para uns é sinal de alerta, para outros sinal de crise e para muitos sinal de normalidade. E é exatamente por isso que acredito que esse blog vai questionar a MÉDIA nossa de cada dia para encontrarmos uma vida mais vivida, mais dinâmica e com novos paradigmas.

Conto com você nessa caminhada.

Muito obrigado pela atenção!

Rogério Nunes
“O filósofo da mediocridade”

O QUE É MÉDIA?

Segundo o dicionário do Google:
média1
substantivo feminino
1. valor definido como uma grandeza equidistante dos extremos de outras grandezas.
“altura abaixo da m.”
2. nível geral médio.
“a m. de vida de um país”
3. fig. posição intermediária entre dois extremos.
“uma m. entre o ceticismo e a fé”
4. quantidade mínima de pontos necessários para ser admitido ou aprovado em escola, concurso etc.
5. B infrm. café com leite em xícara grande.
6. est valor calculado a partir de uma distribuição, segundo regra previamente definida, e que representa essa distribuição.
Origem
⊙ ETIM fem.substv. de médio

média2
substantivo feminino
ANAT
red. de TÚNICA MÉDIA.

Segundo o Wikipédia:
Em estatística, média é definida como o valor que mostra para onde se concentram os dados de uma distribuição como o ponto de equilíbrio das
frequências em um histograma.[1] Média também é interpretada como um valor significativo de uma lista de números.[2] Os valores de uma lista de
números podem ser representados por meio da escolha aleatória de um número. Se todos os números forem iguais, o número escolhido aleatoriamente será
a média. Então, a média pode ser calculada por meio da combinação dos números de maneira específica e da geração de um valor significativo.
Entretanto, a palavra média é usualmente usada em métodos mais sofisticados como média aritmética, mediana, moda, entre outros.

Seguindo uma definição mais informal de “média”, pode-se assumir que no campo da estatística, dados possuem posições. Por exemplo, cada valor dos
lançamentos de um dado possui sua posição em uma planilha eletrônica. Em estatística, média é uma medida de posição que indica um valor uniforme dos
dados. Por exemplo, o conjunto x=\{2,1,6,5,10\} possui média aritmética x=4,8. Embora 4,8 seja o valor médio, ele não é o valor central definido pela
mediana.(3)

Veja mais em: https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A9dia

Etimologia
De acordo com o Oxford English Dictionary, poucas palavras receberam uma maior investigação etimológica.
Em um primeiro uso em inglês da palavra datado do final do século XV, média significava taxas alfandegárias e era usada na região do Mediterrâneo. Em
seguida, média passou a significar o custo dos danos ocorridos no mar. Inclusive, surgiu o termo regulador de média para designar a pessoa que
decidia como dividir os danos entre os proprietários e os seguradores do navio e da carga. Os danos ocorridos em mar (médias particulares) eram
arcados apenas pelos proprietários da carga danificada (média geral), de modo que o proprietário podia reivindicar uma contribuição proporcional de
todas as partes do empreendimento marítimo. O tipo de cálculo usado para regular a média geral deu origem ao uso da média como média aritmética.

Em um segundo uso em inglês da palavra datado de 1674, média (averish) significava o resíduo ou o segundo crescimento dos campos de colheita que eram
considerados apropriados para consumo pelos animais de tração (avers). A raiz da palavra average (média, em inglês) é encontrada em árabe como awar,
em italiano como avaria, em francês como avarie e em holandês como averij. Não está claro em qual língua a palavra apareceu pela primeira vez.

Já em um uso antigo e diferente da palavra datado do século XI, média parecia ser um termo legal para a obrigação de um dia de trabalho para um
xerife. O termo legal provavelmente anglicizado de avera foi encontrado no Domesday Book, registro antigo com informações sobre a população inglesa
do século XI.

O QUE É MORNO?

Segundo o dicionário do Google:
morno
ô/
adjetivo
1. cuja temperatura varia entre o quente e o frio; pouco aquecido; cálido, borno.
2. fig. que demonstra pouca energia, pouca intensidade.
“luz m.”
3. fig. que se caracteriza pela mansidão, pela brandura; tranquilo.
“tardes m.”
4. fig. desprovido de calor, de efervescência, de vida; monótono, aborrecido.
“tinha com ele um relacionamento m.”
Origem
⊙ ETIM orig.contrv.

O QUE É MEDIOCRIDADE?

Segundo o dicionário do Google:

mediocridade
substantivo feminino
1. qualidade, estado ou condição do que é medíocre; mediocrismo.
2. situação, posição mediana, entre a opulência e a pobreza; modéstia.
3. pej. insuficiência de qualidade, valor, mérito; pobreza, banalidade, pequenez.
“m. de pensamento”
4. p.us. justa medida; moderação.
“é bom conservar sempre a m.”
5. p.met. pessoa ou conjunto de pessoas sem talento, medíocres; mediocreira.
“é triste ver a m. assumindo o poder”
Origem
⊙ ETIM lat. mediocrĭtas,ātis ‘medida, moderação, mediania, meio’